Livro – Cem Anos de Solidão

     A Historia da Familia Buendia na vila de Macondo durante Cem Anos. Gabriel García Márquez em 1967 lançou este, que é considerado por muitos (incluindo eu) o Maior Romance de Todos os Tempos.
     É impressionante a capacidade magnífica que Gabriel conta as historias dos personagens durante
um século. São varios personagens marcantes, várias historias incriveis. Historias romanticas, tristes, alegres. Historias de solidão.
     Ao terminar de ler a última página do livro, fiquei hipnotizado. Não consegui parar de pensar no livro por várias horas após conclui-lo. Não é atoa que Gabriel Garcia Marquez ganhou merecidamente o Prêmio Nobel de Literatura. Aconselho a todos que gostam de literatura a lerem  esta obra fascinante e universal.   
    Na minha humilde opnião é uma das melhores historias que um ser humano já criou, seja no teatro, no cinema, na televisão (com séries, novelas e desenhos), nas historias em quadrinhos e manga, seja nos livros.

Mais do que um grande livro e uma Obra-Prima, um marco na historia das historias mundiais.

Nota: 10.0

Clássico – Crépusculo dos Deuses

 

                                                  Não se faz mais filmes como antigamente                                                       

         Joseph é um roteirista de filmes B em baixa em Hollywood. Certo dia, fugindo de alguns cobradores, ele acaba se refugiando em uma antiga Mansão na rua Sunset Boulevard. Na velha mansão, ele conhece Norma Desmond, uma atriz de muito sucesso no passado, e que agora esta esquecida. Joseph então começa a escrever uma grande historia de Norma, para o retorno triunfal da atriz ao mundo do Cinema.
        E apartir desta premissa, começa um dos maiores clássicos da historia do cinema. Impressionante a direção perfeita de Billy Wilder, em um dos seus trabalhos mais inspirados. A atuação de todos os atores também não deixa nada a desejar, principalmente Willian Holden. Seu Joseph é o perfil de um clássico roteirista frustrado de Hollywood. Os dialogos são magnificos, dentre eles um em que Joseph diz: ”As pessoas parece não sabem que uma pessoa escreveu a historia, eles acham que o atores é que inventam as falas na hora”.
        O filme é leve (livre para todas as idades) e inteligente. Assim como eu disse anteriormente, mostra como não se precisa de sexo e violencia, para se contar uma boa historia adulta. Enfim pessoal, se vocês gostam do bom cinema e ainda não viram, vejam, por que concerteza vale cada minuto.

Nota: 9.1

A Outra

Anne e Mary são as belas irmãs Bolena que, movidas pela ambição cega da família, competem pelo amor do Rei Henrique VIII. Destaque para as boas atuações de Scarlett Johansson e Natalie Portman neste longa de Justin Chadwick. Só Eric Bana que parece um pouco deslocado, parecendo até um legitimo canastrão, o que ele não é.
O filme é bem leve, não tem cenas de nudez e muito menos violencia, quando se poderia
explorar as duas coisas. Gostei, não é nescessario sempre ter cenas de sexo e violencia para ser contar uma boa historia. Outra coisa interessante de se notar é a data de lançamento, este longa poderia ser um tipico filme de Oscar, só que o estúdio viu que ele não tinha potencial para premiações e decidiu lança-lo em fevereiro deste ano. Aliás, foi um dos poucos filmes assistiveis deste primeiro semestre.

Nota: 8.0

Historias Mínimas

                                          

A Simplicidade no Cinema

 Neste quarto filme de Carlos Sorin, Diferentes histórias de personagens de um mesmo povoado: uma jovem que ganha um prêmio de um programa de TV, um velho que sai em busca de seu cão fugitivo e um homem que pretende o amor de uma mulher que é sua cliente. Cada um deles viaja por sua conta pelas solitárias rotas da Patagônia, onde suas histórias se entrecruzam. O Forte do filme é justamente a simplicidade e as boas atuações dos atores principais Javier Lombardo, Antonio Benedicti e Javiera Bravo. O filme é sobre esperanças, humildade e o peso da idade na vida de qualquer um idoso. O final já esperado não tira o charme desta otima fita Argentina. Não tem jeito, em Futebol o Brasil é melhor que a Argentina, agora em cinema, os nossos ”hermanos” são muito melhores. Afinal, eles não falam só de miseria e nudez, como os ”hermanos” brasileiros falam.

Nota: 9.0

Balanço Mês de Junho

Assisti poucos filmes em relação aos meses anteriores, mas de todo jeito foram até muitos filmes. Apenas um revisto, O Exterminador do Futuro 2. Destaque para o retorno do Mestre Francis Ford Coppola, que volta com Youth Without Youth (sobre um senhor de idade que é atingido por um raio na cabeça e depois disso passa a se rejuvenescer e ter um clone seu, além de conhecer uma mulher que fala uma lingua desconhecida do planeta terra).

9.7 O Exterminador do Futuro 2
8.9 Indiana Jones e a Última Cruzada
8.9 O Grande Lebowski
8.9 O Sétimo Selo
8.9 A Outra (de Woody Allen)
8.8 Grace Is Gone
8.8 Across The Universe
8.5 Casablanca
8.5 Laranja Mecanica
8.2 A Malvada
8.2 Rambo 2 – A Missão
8.0 Rambo – Programado para Matar
8.0 Be Kind Rewind
7.5 Ligeiramente Gravidos
7.5 Pecados Intimos
7.5 Amor a Flor da Pele
7.0 Touro Indomavel
6.5 Youth Without Youth
6.5 Sr. e Sra. Smith (2005)
5.5 Persona
5.5 A Lenda do Tesouro Perdido
4.5 Semi-Pro